O que é a Cibersegurança?

    Cibersegurança

    Escrito por cyber

    12.22.2020

    O que é a Cibersegurança?

    A Cibersegurança, também referida como segurança da informação, é uma prática que garante a confidencialidade, integridade e disponibilidade da informação.

    Em simples palavras, esta é composta por um conjunto de práticas de segurança, através de ferramentas, abordagens e gestão de risco, projetadas para proteger uma rede, dados, dispositivos e programas online, de possíveis ataques e acessos externos não autorizados. A cibersegurança deve ser uma preocupação por parte de todas as empresas a nível mundial, pois um ambiente empresarial seguro é fulcral para o desenvolvimento das atividades económicas e sociais.

    Tendo em consideração que qualquer empresa pode sofrer este problema, é essencial que a organização tenha em mente 5 objetivos específicos como medidas de segurança: Identificar; Proteger; Detetar; Responder e Recuperar.

     

    Porque é que a Cibersegurança é tão importante?

    A cibersegurança é extremamente importante na medida em que diversas organizações governamentais, corporativas, militares, médicas e financeiras, armazenam uma grande quantidade de dados em computadores e dispositivos, dados estes que são maioritariamente confidenciais e com informação sensível, que se forem expostos podem ter altas consequências negativas. Mas não só as grandes empresas podem ser vítimas de ciberataques. As pequenas e médias empresas também podem ser alvo de ameaças externas, que põem em risco o futuro da organização e de quem trabalha nas mesmas.

    Hoje em dia é essencial que todas as empresas se consciencializem sobre a temática da segurança digital, pois o número de ataques cibernéticos tem sido cada vez mais frequente nos dias que correm. De dia para dia aumenta o número de dispositivos ligados entre si através da internet, o que faz aumentar também o risco de ataques. Não esquecendo que a maioria dos criminosos digitais estão em constante inovação e bem financiados.

    Para o ajudar a perceber o número de ataques existentes a nível mundial, mostramos-lhe um gráfico criado através de um estudo feito no ano de 2020, que mostra por cores, quais os países que sofrem mais deste problema.

    Cibersegurança-mundo

    1. Ranking de Cibersegurança no mundo (2020)

    Como pode observar, Portugal encontra-se num nível de cibersegurança relativamente seguro comparativamente ao resto do mundo, com uma pontuação de 56 Valores em 70. No entanto, pode, e vão sempre acontecer falhas de segurança, que podem acontecer a qualquer um, a si, ou a alguém que conhece. De acordo com este mesmo estudo, os Países que apresentaram maiores níveis de cibersegurança foram a Dinamarca e o Japão. No extremo oposto, com valores mais baixos temos a Argélia e o Tajiquistão.

    Conforme explica o especialista em Risco Cibernético da Marsh Portugal, no final de 2019, 85% das empresas em Portugal colocaram os riscos cibernéticos como o top 5 das suas principais preocupações, mais 60% relativamente a 2017. 33% referiu como sendo a preocupação principal. De ressaltar ainda que o CNCS (Centro Nacional de Cibersegurança), destaca ataques a agentes estatais em Portugal, ligados a forças armadas e serviços de informações de diversos Países, entre os que representam maior risco no ano de 2020.

     

    Como se caracterizam e quais os tipos de ameaças de Cibersegurança?

    Um ciberataque é uma tentativa deliberada de um indivíduo ou conjunto de pessoas de violar o sistema de informação de outra pessoa ou organização. Na maioria dos casos, o criminoso tenciona encontrar algum benefício próprio ao entrar no sistema da organização.

    Alguns dos tipos mais recorrentes de ataques denominam-se por: Phishing e Malware.

    O primeiro, como o nome indica, é o ato de “apanhar” informação pessoal, pode ser através de um email ou outro tipo de comunicação, levando a vítima a pensar que vem de alguém de confiança e levá-la a partilhar dados confidenciais e a praticar ações de risco. O criminoso muitas vezes usa emoções como medo, curiosidade e ganância para agarrar a sua vítima. Com medo das consequências se não o fizer, este tem de abrir documentos ou clicar em certos links que podem pôr em risco toda uma rede, e segurança do indivíduo ou organização.

    Um exemplo prático do que pode acontecer: ao clicar no link que o criminoso envia, este redirecionar para a imitação de um Website, e ser pedido que aceda com o seu nome de utilizador e palavra-passe. Ao fazer isto, a vítima estará a passar todas essas informações para o atacante, e estará a pôr em risco todos os dados que estiverem online, contas bancárias ser esvaziadas ou até serem vendidas informações no mercado negro, daí o seu risco extremo.

    Malware por outro lado, refere-se a qualquer software que possa danificar um dispositivo ou roubar informação, por exemplo, os comuns vírus. Este pode ser instalado num computador manualmente pelo criminoso ou ir ganhando acesso através de outros meios, como pelo simples facto da vítima clicar num link ou abrir uma página que parece fidedigna e afinal pode não o ser. Existem muitos tipos de malware e que podem romper qualquer dispositivo.

    No artigo Ataques Cibernéticos e melhores práticas pode ver melhor em pormenor quais estes são, e ainda ficar aperceber melhor sobre outros tipos de ataques e como os prevenir.

    Quero proteger o meu negócio online, e agora?

    Se pensa que os antivírus comuns o vão salvar de todas as ameaças, está enganado. Para uma proteção total é recomendado a ajuda de especialistas na área, e programas desenhados especificamente para conseguir proteger a sua rede e os seus dados de forma mais eficaz.

    Muitos programas de cibersegurança podem ser encontrados online com o fim de ajudar a eliminar ou prevenir qualquer um destes ataques. No entanto estes são superficiais e requerem valores de investimento maiores, para maior proteção dos seus dispositivos. Em primeiro lugar, se detetou um potencial risco em algum dispositivo deve procurar informar-se sobre o tipo de ataque a que foi alvo, se este tiver ocorrido, e ter em mente os 5 objetivos de segurança que foram referidos acima: Identificar; Proteger; Detetar; Responder e Recuperar.

    Para melhor identificar o problema, veja o artigo, Ataques Cibernéticos e melhores práticas, onde consegue encontrar diversas medidas a tomar e próximos passos.

    Depois de identificado o problema, deve procurar ajuda de especialistas na área, explicar o ocorrido e perceber como estes o podem ajudar.

    Na Crispus temos como objetivo ajudar todas as empresas e pessoas individuais, em diferentes ramos da cibersegurança, desde a prevenção à resposta efetiva de problemas. Atuamos desde a proteção de destruição e roubo de dados à sua rede como prevenção de implicações financeiras.

    Atuamos sobre um vasto conjunto de medidas tecnológicas que envolvem redes, sistemas, roteadores, antivírus, criptografia, firewall, spy e muitos outros, que visam toda a proteção e segurança das empresas e organizações.

    Peça-nos já a sua primeira auditoria gratuita.

     

    Fontes 

    Cisco
    GOV.PT
    Forcepoint
    AVG
    Digital Guardian
    Comparitech
    IT Insight
    Exame Informátca
    CSO

    Comentar

    Outros artigos

    A história dos Ciberataques

    A história dos Ciberataques

    Quem trabalha com tecnologias da informação sabe bem que a segurança é uma questão fundamental. Os hackers e os seus...

    Cibersegurança e o Teletrabalho

    Cibersegurança e o Teletrabalho

    Cibersegurança e o teletrabalho, já pensou qual a sua importância atualmente? Uma questão estratégica e operacional...

    0 comentários

    Peça-nos uma auditoria grátis

    Contactos

    R. Henrique de Paiva Couceiro, Nº10
    2700-453
    Amadora – Lisboa, Portugal

    sales@cyber-security.pt

    +351 914 434 077

    +351 918 576 177

    © Pelican Bay, Todos os Direitos Reservados 2020

    Powered by Pelican Bay